#MeuCorpo

6 perguntas pra fazer ao seu ginecologista

A saúde íntima é um universo muito amplo e por isso, Dermafeme vai te ajudar a esclarecer algumas das principais dúvidas femininas sobre cuidado íntimo.

Um dos cuidados mais importantes que toda mulher deve ter é se  consultar regularmente com um ginecologista. E não importa se é a primeira ou décima vez em um consultório, o importante é questionar, afinal, esse profissional está ali pra te ajudar a entender tudo sobre a sua saúde íntima.

Pensando nas nossas @dermamigas, preparamos esse texto especial, sobre as 6 perguntas que vocês não podem esquecer de fazer para seu ginecologista, e para nos ajudar nessa missão, convocamos uma profissional que tem vasta experiência assunto. Ela é ginecologista, obstetra e criadora da Campanha Saia com Saia, Dra. Laura Lúcia Martins.

A campanha Saia com Saia surgiu dentro do consultório da Dra. Laura Lúcia. As queixas femininas eram sempre as mesmas, ou seja, corrimentos, ardências, coceiras, dores nas relações sexuais, cistites e manchas na vulva e virilha.

As causas para tudo isso, em sua maioria, eram o uso constante de calças jeans, calcinhas sintéticas, protetores diários de plástico, hábito de dormir com calcinhas e também uso de sabonete inadequado. Consciente de que não poderia ficar de braços cruzados, a Dra. Laura Lúcia resolveu se movimentar. Hoje, ela orienta e incentiva mulheres aos hábitos saudáveis com a sua região íntima. De que forma? Usando muita saia e tecidos leves para deixar a área bem ventilada.

Continue a leitura e, fique esperta para não se esquecer de falar sobre esses pontos, na sua próxima consulta, combinado?

Dermafeme – É normal sentir muita dor de cólicas?

Dra. Laura Lúcia – Podemos dizer que uma cólica isolada em um período menstrual, pode até acontecer, sim! Isso ocorre porque as mulheres produzem um hormônio que contrai o útero, para expelir o sangue menstrual e pode acontecer de produzirmos prostaglandina em exagero e isso causar um desconforto. Agora, ter cólica todos os meses, que interfira na vida produtiva, nos estudos, no trabalho, onde a mulher fica impossibilitada de fazer suas tarefas diárias e muitas vezes, chega a ir ao hospital tomar um analgésico mais forte, aí dizemos que não é normal. Se essa cólica se repete por três meses consecutivos ou mais é interessante procurar um ginecologista, porque podem ser pólipos, miomas e até mesmo endometriose. Uma cólica persistente deve ser avaliada, sim!

Dermafeme – Menstruação irregular é normal?

Dra. Laura Lúcia – Com relação à regularidade menstrual, nós classificamos como normal, um ciclo de mais 25 ou 26 até 35 dias. Passando disso, uma mulher que por mais de três meses consecutivos tendo uma menstruação que atrasou ou adiantou demais, deve procurar o ginecologista para investigar. Ter menstruações irregulares por mais que esse período não é considerado normal.

Dermafeme – Quais os maiores perigos das DSTs?

Dra. Laura Lúcia – Hoje em dia, estamos dando preferência ao termo IST, que é Infecção Sexualmente Transmissível, porque existem pessoas que estão infectadas e não estão doentes e pelo fato de não terem sintomas, continuam passando a infecção para outras pessoas. Existem vários tipos de ISTs, as mais graves são o HIV e a Hepatite B que podem levar à morte. A hepatite causa uma lesão no fígado e o HIV que pode levar à Aids.

Dentre todas as outras doenças, existe a Sífilis que voltou e também causa morte. Sua versão primária é uma lesão discreta, que pode sumir sozinha em algumas semanas, mas depois ela volta como secundária atingindo os órgãos e também terciária ou Neurosífilis, isto é, afetando o sistema nervoso. É uma doença muito incapacitante que também leva ao óbito.

Existem outras infecções sexualmente transmissíveis, como o HPV que pode ficar persistente no corpo, fazendo com que o sistema imune não trabalhe corretamente. Esse HPV por sua vez, pode se transformar em um câncer de colo de útero ou de vagina, o câncer oral ou ainda retal. Como percebemos essa é IST muito perigosa se não for tratada.

E tantas outras como a gonorreia, clamídia, a tricomoníase, podem infectar o útero e causar sérias complicações à saúde da mulher. Então, estar com exames em dia e usar camisinha são atitudes muito mais eficazes, do que ter um comportamento de risco e precisar fazer exames toda a hora. Então, não existe outra forma, use camisinha sempre! Sexo seguro é por enquanto a única maneira de nos protegermos, aliada à vacinação contra o HPV.

Dermafeme – É normal ter corrimento vaginal?

Dra. Laura Lúcia – Sim, é normal ter corrimento. A vagina é uma mucosa e também a porta de entrada pra muitas infecções e ela tem que precisa de um mecanismo de defesa. O nosso ouvido tem a cera, nossos olhos tem a lágrima, a boca a saliva, então a nossa vagina tem uma secreção natural de defesa, rica em lactobacilos que são bactérias do bem. Eu gosto de chamar de soldados e eles formam um exército gigante de defesa. Todos os dias, nós mulheres temos uma secreção branca ou amarelinha, geralmente pastosa e espessa, que sai em pequena quantidade na calcinha, sem qualquer desconforto, como coceiras, cheiros fortes e fétidos, irritações, ardências.

Agora, o corrimento anormal é acompanhado de sintomas como a secreção em excesso, muita umidade, corrimento escuro, esverdeado ou amarelado tipo gema de ovo. Tudo isso acompanhado de ardências, maus odores e consistência atípica.

Dermafeme – Qual é o método contraceptivo mais seguro?

Dra. Laura Lúcia – Primeiríssima coisa a ser falada: não existe nenhum método 100% seguro e a segunda coisa, todo método contraceptivo deve ser escolhido junto com ginecologista. Sobre segurança, hoje em dia, podemos contar com métodos muito eficazes. Classificaria como um os mais seguros: o DIU hormonal, o de cobre e também temos os métodos hormonais como as pílulas, os adesivos, o anel vaginal, as injeções. Todos esses chegam a ter 99.5% de eficácia contraceptiva. Caso opte pela cirurgia, a vasectomia também não é 100% e a laqueadura, quando se tira um pedaço grande das trompas é segura, porém é um método irreversível.  Mas mesmo assim, caso a mulher fique com medo, a dica mais maravilhosa que uma ginecologista pode dar é: use o método contraceptivo escolhido junto do seu médico junto da camisinha. Então aí sim a mulher pode ficar tranquila e ainda protegida contra as ISTs.

Dermafeme – Como manter a saúde íntima em dia?

Dra. Laura Lúcia – A higiene é um conjunto de cuidados que nós temos com a região íntima para que ela seja bem cuidada.  A lavagem, a secagem, a depilação, o uso de produtos. O sabonete líquido íntimo é ideal porque ele tem um pH em torno de 5, que é o mesmo pH da nossa vulva, mais ácido. Os sabonetes neutros têm pH 7 e os sabonetes em barra, geralmente têm pH alcalino, que é muito acima de 7.

Então, nossa vulva por ser ácida, precisa de um sabonete com as características do sabonete líquido íntimo que é ácido, hipoalergênico e com baixa detergência, que não tira aquela gordura da nossa pele. Essa oleosidade natural também serve pra nos defender e o sabonete líquido íntimo é gentil, não retirando toda essa proteção. Além disso, todo o produto está dentro do frasco, ou seja, fica limpinho, só usamos a quantidade que vamos usar. E o sabonete em barra não, a gente fica com ele exposto, usa e guarda várias vezes, isso quando não é compartilhado. Para manter a saúde íntima em dia, além dessas atitudes, evite o protetor diário com plástico, prefira os respiráveis, ventile a região íntima, mantenha os pelos mais curtos, enfim não promova o abafamento, aí sim você estará fazendo o bem pra saúde íntima.

Deixe um Comentário